Congresso Freemind 2016 irá capacitar profissionais e voluntários

3

 

Congresso Freemind 2016 irá capacitar profissionais e voluntários

As maiores entidades internacionais ligadas ao combate às drogas no Mundo irão investir mais de R$ 1 milhão numa Mobilização Nacional em 2016. Cerca de 400 brasileiros e 200 estrangeiros receberão treinamento e serão credenciados para atuar como multiplicadores no trabalho de prevenção, educação e tratamento de dependentes químicos. Essa mobilização, que surgiu a partir de um Morador de Rua de São Paulo, há mais de três anos tornou-se referência no setor de drogadicção no Brasil e hoje une os maiores especialistas e instituições que atuam nesta área no país.

Após três congressos internacionais, 14 Viradas de prevenção em escolas públicas e privadas, além de diversas outras ações, as entidades brasileiras irão capacitar cientificamente profissionais e voluntários por meio dos cursos oferecidos pelo ISSUP (International Society of Substance Use Prevention and Treatment Professionals), órgão que teve a iniciativa e congrega as principais organizações mundiais que atuam nesta rede de prevenção às drogas.

O 4o Congresso Internacional Freemind, acontecerá no mês de Dezembro, em Campinas, São Paulo. A coordenação é da Mobilização Freemind, que surgiu no Brasil em 2012. Também participa do evento o ex-jogador de Vôlei Giba, atacante da Seleção Brasileira, tricampeão mundial e ouro olímpico, entre outras conquistas. Giba, eleito melhor jogador do mundo em 2006, atua no incentivo à prevenção das drogas por meio do esporte e educação, será Embaixador do Congresso.

De acordo com um dos idealizadores do Freemind, a sociedade organizada se beneficiará com os resultados obtidos com essas capacitações direcionadas às áreas de prevenção e tratamento. São 11 cursos ministrados por capacitadores internacionais credenciados por 6 entidades internacionais: Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização das Nações Unidas (ONU), Organização dos Estados Americanos (OEA), Cooperação para o Desenvolvimento da Ásia e Pacífico, União Africana e Agência de Leis Internacionais para Narcóticos.

Após investir US$ 13 bilhões no combate às drogas nos últimos 10 anos, o governo norte-americano constatou que a percentual de 5% de dependentes químicos no mundo permaneceu estável justamente pela atuação de entidades e ONG’s que trabalham com prevenção e tratamento. “Através disso, perceberam que é mais barato, eficiente e necessário investir em capacitação científica de voluntários e profissionais para manter e, principalmente, diminuir este índice”.

A primeira capacitação foi feita em julho de 2015, durante um congresso realizado em Bancoc, na Tailândia, envolvendo 372 pessoas de 42 países. Após este evento, houve um encontro no México para oficializar a formação do ISSUP e convidar entidades mundiais para fazerem parte do conselho diretor. A América Latina ficou com três cadeiras, sendo duas delas para o Brasil (Amor Exigente e Freemind) e uma para o México, que receberá a capacitação no ano que vem. Em 2018 será a vez da Europa receber o treinamento.

Mobilização Freemind

Segundo seus coordenadores, a ideia de iniciar uma mobilização em torno do combate às drogas surgiu após ter encontrado um jovem dependente, machucado e faminto, numa madrugada, em São Paulo.  “A partir daí, juntamente com outras pessoas passamos a nos unir e formar um grupo para tentar fazer algo em favor de uma causa que há tempos assusta e entristece a sociedade brasileira e mundial: a dependência química. Mobilizados, empresários, profissionais liberais, religiosos e dependentes em recuperação, começaram uma verdadeira cruzada”.

Hoje, o Freemind conta com vários parceiros no Brasil: Instituto Padre Haroldo, Academia de Inteligência do Dr. Augusto Cury, Dunga da Canção Nova, Arte pela Vida da Comunidade Recado, Doutores da Saúde do Hospital Universitário da USP, Aliança de Misericórdia, Fazenda da Esperança, Amor Exigente, entre outros. Após a realização do 1º Congresso Internacional Freemind em 2013, com recursos integralmente gerados pela iniciativa privada, várias ações de cunho educacional são desenvolvidas com o objetivo de prevenir as pessoas sobre os malefícios das drogas lícitas e ilícitas.

Além de 3 congressos internacionais, o Freemind já realizou, entre outras atividades, 14 Viradas da Prevenção, 321 eventos e já atuou em 101 escolas, envolvendo 77.200 pessoas entre alunos, pais e professores.

“O principal conceito do Freemind é a mobilização, um movimento com ação. Não adianta ficarmos cobrando uma solução sem colocarmos a ‘mão na massa’ e nos envolvermos diretamente na solução dos problemas das drogas no Brasil. Temos que nos mobilizar de forma organizada, isto é: a sociedade civil como um todo, através do Primeiro Setor (Legislativo, Executivo, Judiciário e Conselhos Municipais), Segundo Setor (Escolas, Universidades, Empresas e Associações de Classe), Terceiro Setor (Instituições, Fundações e Entidades Sociais) e a população em geral, principalmente através dos núcleos familiares. Numa guerra nos mobilizamos rapidamente pois vemos o sofrimento à nossa volta. Esta guerra é nossa e precisamos nos organizar nesta Mobilização de Prevenção contra a dor e o sofrimento que as Drogas Lícitas e Ilícitas trazem às famílias”, avalia o coordenador do Freemind.

Serviço:
Site: www.freemind.com.br
Tels.: (19) 2103.9149 / 99909.1706
Contato com a Gisele
E-mail: [email protected]